Na verdade eu ia escrever sobre traição. Acho um tema muito bom e que merecia ser abordado por todas as categorias aqui do site (a saber 'QUEM/ O QUE???', 'ASSUNTANDO', e 'BLOG DONATAN').
Mas de onde veio a vontade de escrever sobre traição? Acho que é porque acontece com todo mundo, todu mundo ja foi traido, ou acha que ja foi.
Antes de dormir eu ficava imaginando o que eu iria escrever na proxima postagem. Já estava com dois textos prontos.

No carvanal, jogando bola, machuquei meu dedo. Estou tendo que fazer acompanhamento ortopedico para ver se melhora. Hoje tive que ir ao medico, e descobri que esse tal de blog é uma coisa que vicia.
Meio que cria uma dependencia. Tudo o que via, tudo o que eu ouvia ou tudo de que antes passava despercebido, agora é uma ideia para uma proxima postagem.

Agora me dou conta que não vou escrever sobre traição e nem sobre o que ia escrever antes.
A verdade é que comigo acontece o seguinte: Penso, imagino e até ja tenho o texto pronto na minha cabeça. Mas ao sentar no computador, abrir o bloco de notas (sim escrevo meus textos no bloco de notas!) e começar a digitar, tudo muda.
Todos os conceito e preceitos que ja tinha na cabeça para o texto, somem.
Meus dedos digitam automaticamente, meu cerebro não precebe o que esta acontecendo. É muito automatico mesmo, eu penso e quando vejo ja esta digitado!

Devo confessar que antes não era assim. Eu modestia parte sou um orador muito bom, falo e conveço as pessoas com certa facilidade. Então eu ligava o 'movie maker', botava o fone no ouvido, ajustava o microfone na altura da boca e começava a falar.
Depois, gravava o audio e digitava tudo. Bem o texto mais lido aqui do site  ("O salto agulha") foi feito assim. =D

É bem provavel que esse seja o post mais chato que eu ja coloquei aqui, como disse eu ia escrever sobre traição, mudei de ideia e ao sentar no meu sofá (é fico tanto tempo no computador que aposentei a cadeira giratória e agora tenho um confortavel sofá de dois lugares; no começo era pela confortabilidade de ficar deitado ao assistir as inumeras series que assisto...) e acabei escrevendo sobre nada!
Pra dizer a verdade nem sei em que categoria do site por esse relato, pois nunca imaginei fazer isso!

Assim como nunca imaginei usar gesso, escrever em um blog ou namorar uma criança (pessoa mais nova que eu).
Coisas que hoje faço com uma boa frequencia!

Bem acho que esse é o fim. (para sorte sua, que achou que ia ler algo muito legal aqui e leu essa bostinha!)

A saber, o tema que seria desse texto era uma cronica sobre uma mulher guerreira.
E so para saber: esse post vai para a cateria 'assuntando'.

Até Logo

xD

 
O BIG Google 03/07/2009
 

O tempo.
Estive pensando por um bom tempo sobre o que eu poderia escrever. Acabei chegando ao tempo.
Sinceramente não sei uma definição correta e simples para o tempo, e acho que esse não é meu intuito.
Sei pouco sobre esse assunto; sei que o tempo não para, que muitas vezes é um remédio e que ele é relativo.
Relativo?
Sim. Por exemplo: 60 segundos da mais pura alegria é pouco tempo, 60 segundos de pura dor é tempo demais.
10 minutos em uma festa é pouco, 10 minutos de silencio apos uma DR é muito.
5 dias sem internet... Muito! Ou será pouco?

No carvanal fui acampar, ficamos na serra durante todo do carvanal, dormimos em barracas, cozinhamos e ficamos em abstinencia de tecnologia. Foram 5 dias de auto conhecimento, cinco dias interagindo com pessoas novas, que eu jamais tinha visto antes.
5 dias sem internet, naquelas circunstancias, bem é pouco...

Mas ja 5 dias, diante do cumputador com ele ligado o dia todo, bem esses dias serão longos sem a internet.

Durante uma das conversas no acampamento, tendo um daqueles papos cabeça que voces sabem que eu gosto, estava com um amigo, entitulado Gilberto, falando sobre teatro, televisão, publicidade e personalidades. Ah e sobre livros também, indiquei para a leitura dele Sidney Sheldon, e ao falarmos sobre personalidades ele se lembrou de um tal Jim Jones.
Bem ele não estava certo da grafia da palavra e disse: Ah poe no 'google' pra ver se é isso.
E a partir daí, diante de  todas as coisas desconhecidas um do outro, mencionavamos o tal 'Google'.

Tah mas o que isso tem a ver com tempo?
Bem dia 31 de janeiro de 2009, o Google teve um erro e ficou fora de ar por 58minutos. O resultado? O mundo parou!

Vivemos em um mundo onde internet= google.
onde não nos preocupamos em detalhes ou em saber a completa informação, apenas nos ligamos no fato principal e pedimos para que o interessando no assunto busque no Google.

Um individuo em 2007, ficou um determinado tempo sem utilizar os serviços da gigante Google. O mais facil foi abrir mão do e-mail (gmail), depois o 'youtube' e por ultimo o buscador, que é o mais completo na categoria.
Ele escreveu o artigo "my life without google" e se voce quer ler poder procurar (onde voce quiser, mas eu recomendo o Google!).

Um exemplo: baixo series americanas. por qual site? Não sei, é so por no Google e ele te mostra uma variedade de sites...

Bem fato confirmado a vida sem google é mais trabalhosa, porem desenvolve atividades mentais importates. É o mesmo mecanismo de uso de calculadoras, chega um ponto em que voce a usa pra fazer 2 x 4. O cerebro atrofia.
Uma vida sem o servidor google, quer dizer uma vida sem: gmail, youtube, google earth, orkut e entre outros.

Conclusão*: Dá para viver sem o Google? Sim,porem é dificil. tentem! 2 semanas. E veremos como isso se tornou  oxigenio em nossas vidas; so percebemos a falta dele  e damos importancia quando estamos sem!

*; fragmento adaptado da "revista da semana"


 
Rapidinho... 03/07/2009
 

Recuperação

Assim fim de ano. É fim de ano letivo pra mim, em pleno fevereiro, época de carnaval e festas... mas tudo bem.
O pior é o seguinte: fiquei de recuperação em Biologia. como? não sei!

Pois bem, estava estudando e descobri algo muito interesante: 'A tendencia para o crime pode ser explicada geneticamente'

Gente fala sério!

Agora falta de vergonha, quero dizer, agora a forma que os menos favorecidos pela sociedade tem para sobriver não é culpa de uma má administração do governo ou do falta de incentivo à cultura e educação e sim culpa de uma doença (anomalia) genética onde uma dupla de  cromossomo 'Y' é encontrado junto com um cromossomo 'X', ( o certo é uma dupla 'XX' para mulheres e uma dupla 'XY' para homens), formando um individuos XYY, ou seja homens, ferteis e sem nenhuma anomalia visualizavel a olho nu.

Claro que é uma pesquisa infundada onde seus dados não são levados a sério e até suspeita-se de má fé na metodologia usada para se coletar esses dados
.

FALA SÉRIO, criminilidade ligada à fatores genéticos??